Discipulado – Os pilares de nosso lema

É muito evidente, pela leitura do Novo Testamento, que a palavra mais usada para designar aqueles que seguem a Cristo é “discípulo”. Aprendiz talvez seja um bom termo equivalente, visto que discípulo é aquele que recebe ensino de alguém. O discípulo apega-se a seu mestre, identificando-se com ele. Neste sentido, a Bíblia diz: Basta ao discípulo ser como seu mestre (Mt 10:25). O discípulo deve aprender não apenas ouvindo, mas, sobretudo, praticando. Ele aprende a viver como o seu mestre e, depois, comunica a outros a vida que tem. Sobre os seus discípulos, Jesus afirmou: Todo aquele que quer ser meu segui­dor deve amar-me (…) mais do que a própria vida; caso contrário, não pode ser meu discípulo (Lc 14:26 – BV); e também: Se vós permanecerdes na minha palavra, sois verdadeiramente meus discípulos (Jo 8:31).

O meio pelo qual instruímos alguém a se tornar um verdadeiro discípulo de Cristo é o que chamamos de discipulado. Essa prática é extremamente importante para que a igreja cresça de forma saudável. Discipulado não é só transmissão de conhecimento, mas de vida. Ensinamos mais com a forma que vivemos do que com as palavras que dizemos. Assim como é missão da igreja evangelizar, é também sua missão discipular. Não basta levar o pecador à fé salvífica inicial; é preciso ensinar a cada um com toda a sabedoria, para que apresentemos todo homem perfeito (maduro) em Cristo (Cl 1:28). Muito mais do que conversos, admiradores ou defensores, Jesus deseja que aqueles que o seguem sejam seus discípulos.

Quem deve discipular? O chamado ao discipulado é para todos? A Bíblia mostra que sim. Em Marcos, a igreja é convocada a ser uma proclamadora (Mc 16:15), mas, em Mateus, ela é convocada a ser uma discipuladora: Portanto, ide e fazei discípulos (Mt 28:19 – grifo nosso). A expressão “fazei discípulos” é uma tradução do verbo grego matheteusate, que está no modo imperativo e pode também ser traduzido como “discipulai”. Esta é a palavra de ordem deste texto. Quanto ao verbo “Ide”, este, na verdade, não é a expressão de uma ordem; é a tradução do verbo grego poreuthéntes, no modo particípio, que indica ação em desenvolvimento. (estudo 11- do livro doutrinal – Evangelização e Discipulado -)   

Write a Reply or Comment

Your email address will not be published.