Reforma Administrativa: Uma Necessidade que está Virando Realidade

Depois de mais de sete anos de estudos, debates e muita consideração, a Assembleia Geral da Igreja Adventista da promessa de novembro de 2010  aprovou os Estatutos e Regimentos Internos das Convenções Geral e Regional que faziam parte do projeto de Reforma Administrativa da igreja. No ano seguinte, em uma Assembleia Geral Extraordinária realizada no mês de julho também foi aprovado o Estatuto e o Regimento Interno para as igrejas locais. Com essa nova postura a igreja está procurando se adequar e chegar cada vez mais perto do que é exigido pelo poder público e com isso, concomitantemente, estamos buscando nos enquadrar e obedecer os princípios espirituais estabelecidos pela Palavra de Deus.

O objetivo nesta fala é fazer uma síntese das principais mudanças que vão nortear as Convenções Regionais. Iniciamos informando que a Convenção Regional nas Igrejas Adventista da Promessa da Convenção Oeste Paulista é uma organização religiosa, com fins não econômicos, fundada em 28 de novembro de 2010 na Estância Árvore da Vida, no Município de Sumaré, Estado de São Paulo, com duração por tempo Indeterminado. Tem sede e foro na cidade e comarca à Rua Dona Julia Nomura, 340 Fragata – Marília/SP – CEP: 17501-300. A Convenção Regional é constituída de Igrejas Adventistas da Promessa, doravante IAP, cooperantes na Região Oeste Paulista.

A Convenção Regional reunir-se–á em ASSEMBLEIA GERAL, constituída por um representante da Junta Geral Deliberativa, pela Junta Regional, por Consagrados em comunhão e um membro também comunhão para cada 50 cadastrados ou fração. A Assembleia Geral será: I- ordinária, reunirá uma vez ao ano nos meses de março ou abril. II- extraordinária, sempre que necessário; III- solenes.

De acordo com a reforma administrativa aprovada em Assembleia Geral, a Convenção Regional passa a ter uma estrutura organizacional que permite uma maior proximidade da liderança e igrejas locais com a administração regional e está assim configurada:

A Convenção tem uma DIRETORIA REGIONAL composta por cinco membros que são: Superintendente, Vice-Superintendente, Secretário, Diretor Financeiro e Diretor de Patrimônio, com mandato de quatro anos, podendo ser reeleitos apenas uma vez.

A Convenção tem uma JUNTA REGIONAL, composta por um representante da Junta Geral Deliberativa, pelos Diretores dos Departamentos Regionais, cinco componentes, entre pastores e presbíteros e cinco componentes, entre diáconos e diaconisas.  A Convenção Regional também tem um CONSELHO FISCAL, composto por três membros e três suplentes e entre suas atribuições está: fiscalizar todas as contas da CONVENÇÃO REGIONAL e dos Departamentos por ela mantidas.

A Convenção Regional tem uma CÂMARA DISCIPLINAR, constituída por sete membros, sendo cinco presbíteros e duas diaconisas, com mandatos de dois anos, podendo ser reconduzidos e sua principal atribuição é julgar em primeira instância os processos que envolvam presbíteros, diáconos, diaconisas, membros das diretorias dos departamentos regionais e instituições, e seus respectivos cônjuges.

A Convenção Regional tem também uma CÂMARA RECURSAL, constituída por sete membros, sendo cinco presbíteros e duas diaconisas, nomeados pela Junta Regional e homologados pela Assembleia Regional para um mandato de dois anos. Entre suas atribuições está: julgar, em instância final, recursos interpostos pelos componentes implicados em processo: Diretores dos Departamentos Regionais, presbíteros, diáconos, diaconisas, bem como seus respectivos cônjuges julgados pela Câmara Disciplinar.

Para o cumprimento dos seus objetivos a Convenção Regional mantém os DEPARTAMENTOS REGIONAIS que são: DERME, RUMAP, RESOFAP, DIJAP, DEMAP, DEMI E O DASAP. Os Departamentos Regionais executam os programas da Convenção Regional, em suas respectivas áreas de atuação, e são compostos pelo Diretor, Vice- Diretor, Secretário e Tesoureiro com mandato de quatros anos e são indicados pela Diretoria Regional.

Com relação ao níveis de atuação e deliberações, A Convenção Regional possui, dentre as suas  muitas atribuições, as especificadas a seguir:

1- Eleger e destituir os componentes do Conselho Fiscal.

2- Legislar em qualquer área da causa, respeitando os limites de sua competência estabelecidos pelos Estatutos das Convenções.

3- Homologar as indicações dos componentes das Comissões e Câmaras constituídas pelo Junta Regional.

4- Aprovar a indicação de consagrados ao diaconato e presbiterato.

5- Autorizar operações financeiras da Convenção Regional e dos Departamentos- Junta Regional.

6- Exonerar pastores, missionários e obreiros, conforme critérios da Junta Geral Deliberativa. Comprar e vender veículos- Junta Regional.

7- Autorizar a Diretoria Regional a comprar bens imóveis, obedecendo aos limites previstos no Regimento Interno da Convenção. Etc.

Em se tratando de um panorama geral da Instituição, hoje, muitas Convenções Regionais já têm o seu CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica), entre essas está a Oeste Paulista. Queremos esclarecer aos nossos irmãos que, de posse do CNPJ, as Convenções terão mais autonomia para gerir suas atividades e isso trará muitas facilidades para a região. Ao mesmo tempo em que se vislumbra um futuro promissor, também vêm as responsabilidades e dessas, seus diretores vão respondê-las em todos os aspectos como: juridicamente, contabilmente, administrativamente, na área fiscal, financeiramente, e aí por diante.

Concluindo, se Deus deu condições para a igreja aprovar todas essas reformas, com certeza, Ele  continuará ajudando a fim de que, tudo isso que foi aprovado, seja colocado em prática e que através disso o Nome dEle seja exaltado.

 

Pr. Izaias dos Reis

Superintendente da Convenção Oeste Paulista

 

Write a Reply or Comment

Your email address will not be published.